Acessos: 191

O ensino superior de economia na província da Huíla, remonta dos anos 1983 como extensão da Faculdade de Economia no âmbito da Universidade Agostinho Neto, com uma completa autonomia administrativa e uma relativa autonomia pedagógica e científica. Surge, de um quadro de existências humanas dada a evolução estudantil do então Instituto Médio “ Frederic Engels” que formava na altura técnicos médios na especialidade de Finanças, Estatística e o Curso Pré – Universitário de Ciências Sociais, existência de técnicos do antigo Instituto Comercial, que funcionou na cidade do Lubango até 1975, afluxo da população estudantil das províncias circunvizinhas, e também limitada possibilidade dessa população estudantil em aceder a Faculdade de Economia em Luanda.

Nos três primeiros anos da sua existência, o Núcleo, foi coordenado pelo Dr. António Marta, docente, formado em Economia e de nacionalidade portuguesa, sendo que em 1986 a coordenação foi assumida pelo docente Dr. António Didalelwa formado em Matemática e Mestre em Economia. Em 1990, assumiu a coordenação o docente formado em Economia, Dr. Hernâni Porcel Mendes da Silva, e a partir de 2006 a Coordenação do Núcleo foi assumida pelo Mestre César Fernando Reis. Em 1991, o Núcleo registou a paralisação da área científica e pedagógica, cujo objectivo foi o de proporcionar aos docentes a capacitação e formação através de cursos de Pós – graduação nas fases de especialização e mestrado, para viabilizar a transição do sistema de ensino da Economia Planificada para o sistema de ensino da Economia de Mercado. Reabriu as suas actividades académicas em 1998, com a actualização dos seus planos curriculares na base dos currículos em vigor na Faculdade de Economia da UAN.

Até a altura da sua interrupção o Núcleo formou 79 técnicos na especialidade de Contabilidade e Finanças, no âmbito da Economia Planificada. A cobertura docente na altura era constituída maioritariamente por cooperação estrangeira. Devido a escassez de docentes de cadeiras específicas, o Núcleo estabeleceu parcerias com o ISCED e o Núcleo de Direito, e algumas cadeiras de especialidades eram ministradas por docentes da Faculdade de Economia que se deslocavam de Luanda para o efeito. O corpo discente era maioritariamente constituído por trabalhadores estudantes.